O critério para decidir aquilo que vale a pena ser dito

[1] “No caso de palavras que o Tathagata sabe que não correspondem aos fatos, inverdades, não trazem nenhum benefício (ou não estão conectadas com o objetivo), antipáticas e desagradáveis para os outros, ele não as diz. [2] “No caso de palavras que o Tathagata sabe que são fatuais, verdadeiras, não trazem nenhum benefício, antipáticas e…

A Impermanência

O segundo pensamento de transformação da mente que nos desperta do estado de ignorância é a contemplação da  impermanência – impermanência não meramente como uma compreensão intelectual, mas antes como uma forma de ser que se incorporou na nossa sabedoria viva. Todos sabemos que as coisas mudam, mas quantos de nós vivem e agem a…

Pôr-se a caminho

Embora haja muitas diferenças entre as várias religiões do mundo e entre as várias escolas do Budismo, também há muita coisa em comum, e isso é muito visível quando iniciamos a viagem. Para muitos de nós, o primeiro passo no caminho espiritual, o portão de “Um Dharma”, surge quando nos damos conta de um forte…

Plantar a árvore de metta

Quem escolheria viver numa cabana suja, decrépita, com fendas, à mercê dos ventos e dos temporais? Quem não preferia viver numa mansão com todo o conforto e beleza, rodeado de amigos e felicidade? No entanto, deixamos que a nossa mente habite terrenos inóspitos, moradas agrestes e solitárias e frequentemente descuramos a construção da melhor morada…

voltar a casa

O Buda considerava a investigação como sendo uma capacidade crucial no caminho espiritual. O que significa isto? Há algo dentro de nós que quer verdadeiramente saber qual é a natureza das coisas… realmente, o que sou eu? O que está a acontecer agora? O que é essa presença vazia, silenciosa, que escuta e que está…

A Perfeição da Sabedoria

A sexta pétala da flor é a prajna paramita, a perfeição da sabedoria. Este é o tipo mais elevado de compreensão, que se situa além de todo o conhecimento, conceitos, ideias e pontos de vista. Prajna é a natureza de Buda que existe em nós. É o tipo de compreensão que tem o poder de…

A Perfeição da Meditação

A quinta prática é a dhyana paramita, a perfeição da meditação. Dhyana é chamada de zen em japonês, chan em chinês, thien em vietnamita e son em coreano. A dhyana, ou meditação, tem dois atributos. O primeiro é o de parar (shamatha). Nós passamos a nossa vida a correr atrás de uma ideia ou outra…

A Perfeição do Esforço

A quarta pétala da flor é a virya paramita, a perfeição do esforço, a energia ou a prática contínua. O Buda disse que no fundo da nossa consciência armazenadora, alaya vijnana, existem diversos tipos de sementes, positivas e negativas – sementes de raiva, ilusão e medo, assim como sementes de compreensão, compaixão e perdão. Muitas…

A Perfeição da Tolerância

A terceira pétala da flor é a tolerância, kshanti paramita. A tolerância é a capacidade de receber, aceitar e transformar as coisas. Kshanti às vezes é traduzida também por paciência ou resignação, mas acho que “tolerância” é uma palavra que denota melhor o ensinamento de Buda. Quando praticamos a tolerância, não precisamos sofrer nem nos…

A Perfeição da Ética

A segunda prática, a segunda paramita, é o aperfeiçoamento dos preceitos (shila paramita), ou treinamentos da atenção plena. Os Cinco Treinamentos da Atenção Plena ajudam a proteger o corpo, a mente, a família e a sociedade. O Primeiro Treinamento da Atenção Plena versa sobre proteger as vidas dos seres humanos, animais, vegetais e minerais. Proteger…

A Perfeição da Generosidade nos relacionamentos

Na tradição budista, as Paramitas referem-se às qualidades a aperfeiçoar para “atravessar para a outra margem”, a margem da libertação, da felicidade. A margem da harmonia e bons relacionamentos. A primeira qualidade, a primeira perfeição, é a generosidade – dana paramita. E o que é dana? Existe uma planta, muito conhecida na Ásia – um…

Sabedoria

Apesar da subtileza dos seus ensinamentos, o Buda tinha um teste simples para medir a sabedoria. Você é sábio, ele dizia, quando consegue fazer coisas que não gosta de fazer, mas que sabe irão resultar em felicidade, e de evitar fazer coisas que você gosta de fazer, mas que sabe irão resultar em dor e…

A minha prática é a paciência

Um texto de Luang Por Sumedho que é um grande ensinamento, toca tantos aspetos da nossa vida – e como tão facilmente a aversão toma conta de nós e nos impede de viver plenamente: “Quando fui pela primeira vez a Wat Pah Pong não conseguia entender a língua, Lao. E nessa altura Ajahn Chah estava…

Não há desculpas

Jetsunma Tenzin Palmo, de nascimento Diane Perry, veio ao mundo durante o Blitz, em 1943, filha de uma mulher de limpezas e de um vendedor de peixe de East End. Em 1961 decidiu que era budista e, com dezoito anos, viajou por mar até à Índia à procura de um mestre. Ao fazer vinte e…

O Dharma num desenho

No início dos anos 70 Chögyam Trungpa Rinpoche foi convidado para ministrar um curso sobre budismo numa universidade americana no Colorado. Os Estados Unidos estavam em plena revolução contracultural, com protestos contra a Guerra do Vietname ao mesmo tempo que entrava em contato com religiões orientais da Índia, Tibete, Sudeste da Ásia e Japão. Falava-se de…