Espontaneidade e prática

As pessoas por vezes afastam-se da prática do Dharma porque receiam que arruíne a sua paixão e espontaneidade. Questionam-se se atenção plena e espontaneidade são compatíveis, ou se uma apaga a outra. Esta questão é muito interessante pois aponta para uma compreensão convencional da espontaneidade que na verdade não tem nada a ver com espontaneidade.

Por vezes temos esta ideia que comportamento inconsiderado e não premeditado é espontâneo e consideramo-lo algo de “puro”. Mas será que é? Pode ser simplesmente agir sob o domínio do condicionamento. Será que é um coração grande, nobre, espontâneo, puro que cria essas ações? Ocasionalmente pode ser. Mas também pode ser todas as formações do hábito do desejo, cobiça, medo, confusão, que nos levam a agir sem refletir. E chamamos a isso espontaneidade. Quantas vezes damos por nós no meio de alguma coisa antes de dar conta que a iniciamos? Isso não é espontaneidade. É comportamento mecânico, como estar dormir acordado.

Uma verdadeira espontaneidade revela-se notoriamente na prática. É a espontaneidade intrínseca de todos os fenómenos, do Dharma, de todo o processo da vida.

Joseph Goldstein, Insight Meditation

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s